domingo, 9 de dezembro de 2012

A menina do mar (Ecossistemas marinhos/ Ciência Viva)

"Mas na maré vazia as rochas apareciam cobertas de limo, de búzios, de anémonas, de lapas, de algas e de ouriços. Havia poças de água, rios, caminhos, grutas, arcos, cascatas. Havia pedras de todas as cores e feitios, pequeninas e macias, polidas pelas ondas. E a água do mar era transparente e fria. Às vezes passava um peixe, mas tão rápido que mal se via. Dizia-se "Vai ali um peixe" e já não se via nada."

(em A menina do mar, de Sophia de Mello Breyner Andresen)
Sim, é Dezembro e está uma límpida manhã...
Demos início ao nosso projecto "Ecossistemas marinhos/Ciência Viva". Esta, é a nossa primeira saída de campo, a fim de identificar e reconhecer alguns seres vivos e seu ambiente.
Como o menino da história, andámos pelas rochas, repletas de segredos e bichinhos surpreendentes. Descobrimos recantos, cobrimos-nos de areia, água, brincadeiras de baldes e pás, camaroeiros e galochas...
A maré baixa deixara a descoberto verdadeiros tesouros, conchas brilhantes, algas escorregadias...
Durante um almoço breve, pois a brincadeira chamava de novo, vimos livros sobre a vida marinha, ilustrações coloridas e descrições do que tínhamos visto:
O peixinho, que correra a esconder-se debaixo das pedras era um caboz, aqueles lindos e brilhantes búzios, tão pequeninos e juntinhos, eram os burriés (Gibbula cineraria), as outras conchas, grandes e com ar sério, eram os mexilhões (Modiolus barbatus?)...As outras, claras e pacíficas, eram lapas e ainda havia as cracas...
Vimos algas. Verdes (Cladophora rupestris), vermelhas ( Laurencia pinnatifida) e castanhas (Pelvetia caniculata?)
E tantas outras coisas!
A maré trazia lindas medusas ( alforrecas) , enormes e de meter respeito! Mas depois percebemos que não eram perigosas ( Rhizostoma pulmo?)...
Fizemos desenhos do que tínhamos visto e do que nos fazia lembrar o mar, a praia...e brincámos, brincámos, brincámos!
Foi um dia bem passado, não acham?

Sem comentários:

Enviar um comentário